E começa a temporada de comemorações e festas da “firma”.

| Comportamento |
warning-sign-1445215

Depois de um ano pesado destes, nada melhor que comemorar “com força” o término. Como as vacas magras ainda assolam a maioria das pessoas e empresas, talvez o volume e porte das festas diminuam, mas com certeza, no mínimo um happy hour com o pessoal da “firma” deve rolar. E é preciso estar preparado para isso.

 

Nestes momentos o bom senso é, ou deveria ser, peça fundamental para evitar deslizes e quem sabe até ajudar a ganhar uns pontos com a chefia.

 

Mas como nem todos foram brindados com a dose de bom senso adequada, não custa dar uns toques, né:

  • Preste atenção no convite ou local do evento, veja se não há indicação de traje. Se houver, respeite o traje porque isso demonstra atenção e consideração com o anfitrião ou quem planejou o evento.
  • Se não houver indicação de traje e mesmo que o ambiente for suuuuuuper informal, mantenha o padrão de apresentação que usa na empresa, com o “relaxamento” liberado por eles.
  • Se for beber, que seja socialmente. Não perca a linha. E se só se controla quando tem que dirigir, vá de carro. Tuuudo para prevenir um eventual excesso e por que não dizer vexame, em alguns casos.

 

Este assunto é pauta há tempos, dêem uma olhada no que diz Associação Brasileira de Recursos Humanos no Rio de Janeiro (ABRH-RJ) numa matéria para O Globo em 2013.

E para aqueles que continuam achando que a festa de fim de ano é mais uma oportunidade para beber e comer bem e de diversão sem limites, cuidado. Pode ter certeza que não é. Nos meus tempos de produtora de eventos, já vi gente sair de ambulância da festa e demitido na semana seguinte. Ou aquele affair que resolve se declarar e acaba com um copo de whisky quebrado na cara e todos os envolvidos, igualmente demitidos.

Por tanto, foca em encarar o evento como uma oportunidade de ampliar o network dentro da sua empresa, se apresentar para outras áreas e escalões mais altos e deixa pra “festar” quando estiver em ambiente de pessoa física.

 

Gostou? Comenta ou escreve para querosaber@falecomfulvia.com.br.

Facebookpinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *